Liturgia – Domingo III do Tempo Comum 24/01/16

EVANGELHO
Lucas 1, 1-4; 4, 14-21

«Cumpriu-se hoje esta passagem da Escritura»

Esta leitura começa com a introdução em que o evangelista expõe o método que seguiu para se informar sobre o Evangelho que vai escrever, e faz a dedicatória do mesmo a um tal Teófilo, nome que significa “Amigo de Deus”. Depois, começa a sua narração, referindo o princípio do ministério público de Jesus. A cena passa-se na sinagoga de Nazaré, numa celebração de Sábado. É digno de nota este facto: Jesus inicia o seu ministério numa celebração, e nela Se apresenta como sendo Aquele a quem a leitura se refere. De facto, o Senhor é Aquele a quem toda a Sagrada Escritura se refere e Aquele que, em cada celebração litúrgica, é significado e tornado presente pela própria celebração, pois que “é Ele quem fala quando na Igreja se lêem as Sagradas escrituras”(Concílio SC 7).

5538_esterna

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Já que muitos empreenderam narrar os factos que se realizaram entre nós, como no-los transmitiram os que, desde o início, foram testemunhas oculares e ministros da palavra, também eu resolvi, depois de ter investigado cuidadosamente tudo desde as origens, escrevê-las para ti, ilustre Teófilo, para que tenhas conhecimento seguro do que te foi ensinado. Naquele tempo, Jesus voltou da Galileia, com a força do Espírito, e a sua fama propagou-se por toda a região. Ensinava nas sinagogas e era elogiado por todos. Foi então a Nazaré, onde Se tinha criado. Segundo o seu costume, entrou na sinagoga a um sábado e levantou-Se para fazer a leitura. Entregaram-Lhe o livro do profeta Isaías e, ao abrir o livro, encontrou a passagem em que estava escrito: «O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para anunciar a boa nova aos pobres. Ele me enviou a proclamar a redenção aos cativos e a vista aos cegos, a restituir a liberdade aos oprimidos e a proclamar o ano da graça do Senhor». Depois enrolou o livro, entregou-o ao ajudante e sentou-Se. Estavam fixos em Jesus os olhos de toda a sinagoga. Começou então a dizer-lhes: «Cumpriu-se hoje mesmo esta passagem da Escritura que acabais de ouvir».
Palavra da salvação.

ESTE DOMINGO CELEBRAMOS A FESTA DO NOSSO PADROEIRO

Santo-Ildefonso

Santo Ildefonso

Esta solenidade terá a sua missa festiva na celebração das 19h de Domingo, com liturgia própria. Desta forma, a Voz de Santo Ildefonso, meio de comunicação da qual este santo também é padroeiro, deixa-lhe ficar o seguinte retrato histórico e respectiva oração de devoção.

Santo Ildefonso nasceu, numa família ilustre, no ano de 605 e morreu a 23 de Janeiro de 667. Sobrinho de Santo Eugénio, a quem sucedeu na Sé de Toledo, Santo Ildefonso escolheu a vida religiosa muito cedo, apesar da oposição do seu pai. Estudou no mosteiro de Agali, perto de Toledo, e depois em Sevilha, onde teve como mestre Santo Isidoro. Quando era ainda um simples monge fundou um mosteiro de monjas em Deibiensi villula . Em 630 foi ordenado diácono por Heládio, abade de Agali, e posteriormente nomeado arcebispo de Toledo. Santo Ildefonso tornou-se abade de Agali e nessa qualidade foi um dos signatários do VIII (653) e IX (655) Concílios de Toledo. Nomeado arcebispo de Toledo em 657, pelo rei Recesvindo, ocupou este cargo eclesiástico até à sua morte, em 23 de Janeiro de 667, tendo sido enterrado na Basílica de Santa Leocádia. Para além destes dados autênticos sobre a sua vida, escritos pelo próprio Santo Ildefonso ou pelo seu sucessor, o arcebispo Juliano, numa breve nota biográfica que acrescentou à De viris illustribus , de Santo Ildefonso, existem alguns episódios sobre a sua vida de duvidosa veracidade. Assim, no fim do século VIII, o arcebispo de Toledo, Cixila, relata dois episódios maravilhosos, dos quais um tem sido amplamente ligado à vida de Santo Ildefonso por poetas e artistas. Neste episódio se narra que Santo Ildefonso estava a rezar perante as relíquias de Santa Leocádia, quando a santa mártir se levantou do túmulo e lhe agradeceu a sua devoção à mãe de Deus. Numa outra ocasião terá aparecido a Virgem Maria a Santo Ildefonso que o presenteou com uma veste de sacerdote para o recompensar da sua devoção. Os trabalhos de Santo Ildefonso merecem um lugar de destaque na literatura espanhola. Divididos em quatro partes, os seus escritos compreendem, na primeira, seis tratados, dos quais apenas dois ainda existem, o tratado De virginitate perpetu sanctae Mariae adversus tres infideles e o tratado em dois livros Annotationes de cognitione baptismie Liber de itinere deserti, quo itur post baptismum ; a segunda inclui a sua correspondência; da terceira fazem parte missas e sermões; e na quarta, opuscula , em prosa e verso, especialmente epitáfios.

ORAÇÃO A SANTO ILDEFONSO

Ao vosso amparo e protecção
nos acolhemos, Santo Ildefonso
e suplicamos a vossa intercessão.
Alcançai-nos o dom de uma vida
que seja testemunho de Jesus Cristo
e avivai em nós o desejo de crescermos na fé.
Abençoai as crianças e os jovens,
os adultos e os idosos.
Intercedei pelos doentes
e pelos que vivem sozinhos e abandonados.
Confortai os tristes e os aflitos
e encaminhai os errantes.
Fazei regressar os que andam perdidos
pela indiferença e pelo pecado.
Reconciliai os casais e
iluminai os seus caminhos.
Santo Ildefonso,
nós vos pedimos o dom da fortaleza
para vencer as dificuldades que nos rodeiam.
A vós, filho dedicado de Maria,
pedimos a vossa intercessão
e guiai os nossos passos
pelo caminho da eternidade. Ámen.
Pai Nosso…
Ave Maria…

 

LIVRO DO MÊS

Proposta da Voz de St. Ildefonso para o mês de Janeiro

9789723015003

De uma maneira simples e pedagógica, com claro objectivo pastoral, o autor procura abordar diversos elementos referentes à oração. O livro é dividido em 3 partes. A primeira explana o que é a oração, a segunda o modo como devemos orar e por fim o porque rezar, alertando para algumas dificuldades e obstáculos à oração. Um livro de grande profundidade e que certamente ajudará o cristão a ver a oração sob nova perspectiva, não como obrigação, mas como um diálogo prazeroso com Deus.

Ponto de venda da Editora PAULUS mais próximo da Paróquia

VILA NOVA DE GAIA
Livraria São Cristovão – 
Rua Raimundo de Carvalho 296 – A (atrás da Igreja de Mafamude) 4430-185 Vila Nova de Gaia
Horário:
Segunda a sexta-feira das 09h30 às 12h30 e das 14h30 às 19h00
Sábado das 10h30 às 13h00

Tel.: (+351) 223 714 341

 livrariasaocristovao@gmail.com

logo_paulus

Sem Título