Férias

Apesar da evolução sócio-económica distribuir o período de
férias ao longo de todo o ano, a 2ª quinzena de Julho e o mês de Agosto
continuam a ser o grande período de férias para a maioria de todos nós.

Afinal, por professores ou alunos, todos estamos muito ligados ao período escolar.

Também a Igreja se associa a este período, procurando também
ela renovar as forças dos seus elementos. Por esta razão ficará suspensa a
missa das 19,00 h. de Domingo até ao princípio da 2ª quinzena de Setembro.

Neste período de quebra de actividade e de descanso queremos
dirigir a todos os que nos visitam uma palavra de BOAS FÉRIAS:

– Cortar com ritmo cerrado de trabalho;

– Encontrar um clima sereno onde se possa dialogar com toda a família;

– Ir ao encontro de lugares onde se possa entrar em contacto directo com a natureza;

– Procurar lugares de beleza e arte onde se possa enriquecer o nosso espírito.

Assim se fará, com toda a naturalidade, o encontro connosco,
com os outros e com Deus que tal presente nos oferece!

A redescoberta destes valores, de cujo encanto muito
frequentemente a vida moderna nos mantém distantes, faz nascer no coração um
sentimento de jubiloso agradecimento que facilmente se transforma em oração:

Bendiz, ó minha alma, o Senhor. *

Senhor, meu Deus, como sois grande!

Revestido de esplendor e majestade, *

envolvido em luz como num manto.

Estendestes o céu como um toldo, *

assentastes sobre as águas a vossa morada.

Fazeis das nuvens o vosso carro, *

caminhais sobre as asas do vento.

Fazeis dos ventos vossos mensageiros, *

do fogo ardente os vossos ministros.

(…)

Transformais as fontes em rios, *

que correm entre as montanhas.

Dão de beber a todos os animais bravios *

e matam a sede aos burros selvagens.

Nas suas margens habitam as aves do céu; *

por entre a folhagem fazem ouvir o seu canto. (Salmo 103)