GRUPO DE ACÓLITOS PREPARA O NOVO ANO

A Voz de Santo Ildefonso, acompanhou bem de perto, a tarde de reflexão de inicio de ano do grupo de Acólitos de Santo Ildefonso.

Dividido em 4 pontos, começou com uma reflexão espiritual ministrada pelo Pe. Agostinho Pedroso. Em seguida foi a vez do novo coordenador do grupo, Pedro Zão, tomar a palavra e dar algumas indicações práticas para um novo ano que se inicia tendo em vista o novo projecto de reestruturação do colectivo baseado em diversas iniciativas e com uma estratégia de organização diferente. Para exemplificar, uma das medidas tomadas pelo novo responsável, foi a divisão do grupo em 2 grandes pulmões, o primeiro voltado para a liturgia e espiritualidade e o segundo voltado para a cultura e animação do grupo. Com um calendário anual de actividades entre tantas outras coisas, o objectivo é que o grupo passe a trabalhar no seu todo e não apenas aqueles que assumem responsabilidades de orientação do mesmo. O conjunto vai também vincar a sua presença nas mais diversas actividades da vida paroquial. Ao nível da formação o grupo conta com uma escola de pré-acólitos onde são admitidos rapazes e raparigas a partir do 2º ano de catequese. Sob a responsabilidade do formador Bruno Barbosa, secretário do grupo, esta escola de iniciantes conta já com 6 pré-acólitos. A partir da investida da túnica na celebração de Cristo Rei, a formação passa para as mãos do coordenador do grupo, o formador Pedro Zão. Nesta fase os acólitos entram no ano de estágio recebendo uma formação teórico-pratica mais profunda, tendo em vista a imposição da cruz peitoral, também na solenidade de Cristo Rei, no final desse ano. Conta atualmente com 4 estagiários, estando um deles a receber formação especifica para prestar serviço na Capela de Fradelos. Já o grupo oficial inicia este ano com cerca de 12 Acólitos. Foi também decisão do coordenador, abrir as portas não só à integração de crianças e jovens,  através, por exemplo de acções de captação, mas também a abertura à eventual reentrada de antigos acólitos e adultos que gostassem de aprender mais sobre este belo serviço e colaborassem com um colectivo que é fundamental pela vitalidade e união que transmite e terá sempre de transmitir para a comunidade. Após este momento e já pelas 18:00h chegou o tempo da oração em conjunto e do compromisso diante de Deus e dos irmãos. E para fechar, o momento do lanche que veio saciar a fome de uma longa tarde de reflexão e trabalho de organização. A partir deste ano e para o futuro queremos que este grupo não só sirva o altar como seja capaz de sair dele e ir ao encontro dos outros!